::MENU SALAS::

DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA A SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS - BRASIL DIGA SIM A JESUS

80.000 VISITAS - OBRIGADA BLOGUEIROS(AS) AMIGOS(AS) - 80.000 VISITAS - OBRIGADA JESUS - OBRIGADA BLOGUEIROS(AS)AMIGOS(AS) - 80.000 VISITAS OBRIGADA JESUS - OBRIGADA BLOGUEIROS(AS)AMIGOS(AS) - 80.000 VISITAS - OBRIGADA JESUS - OBRIGADA BLOGUEIROS(AS) AMIGOS(AS)

::Perfil::


Sou Edimar Suely da cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Sou viúva, tenho 55 anos, um filho maravilhoso de 28 anos, chamado Alex e estou de bem com a vida. Sou recém-convertida, passei pelas águas há pouco mais de três anos e congrego pela denominação Congregacional.
Gosto: De Jesus, da Palavra, da oração, da minha família, de escrever (estou no momento, escrevendo mais dois livros - O que elas tinham que eu não tenho e Quero trabalhar, mas não tenho espaço),de postar mensagens em meu blog e visitar meus amigos virtuais, a maioria, mais chegados que irmãos.
Não Gosto: De "irmãos" que nada fazem e impedem que façamos; de "irmãos" maledicentes, que nos levam pra baixo com seus péssimos testemunhos; de "irmãos" que não levam Deus a sério; de idolatria; de "irmãos" que desconhecem o SIM e Não e de "irmãos" que tem o péssimo hábito de não devolver o que lhes é emprestado.

edi.suely@hotmail.com
edimarsuely@gmail.com
edi.suely@yahoo.com.br
edi.suely2@yahoo.com.br

::MASCOTES ADOTADOS PELO BLOG::




::FACA SEUS CONGRESSOS E VIAGENS COMIGO::

::MURAL 1::

 

::MURAL 2::

 

 

::MURAL 3::

      

::MURAL 4::


::QUE HORAS SÃO?::

Grande é o Senhor mp.Stop

 


Histórico:

- 05/09/2010 a 11/09/2010
- 15/08/2010 a 21/08/2010
- 01/08/2010 a 07/08/2010
- 04/07/2010 a 10/07/2010
- 27/06/2010 a 03/07/2010
- 20/06/2010 a 26/06/2010
- 13/06/2010 a 19/06/2010
- 30/05/2010 a 05/06/2010
- 23/05/2010 a 29/05/2010
- 09/05/2010 a 15/05/2010
- 02/05/2010 a 08/05/2010
- 18/04/2010 a 24/04/2010
- 11/04/2010 a 17/04/2010
- 04/04/2010 a 10/04/2010
- 28/03/2010 a 03/04/2010
- 21/03/2010 a 27/03/2010
- 14/03/2010 a 20/03/2010
- 07/03/2010 a 13/03/2010
- 28/02/2010 a 06/03/2010
- 21/02/2010 a 27/02/2010
- 07/02/2010 a 13/02/2010
- 31/01/2010 a 06/02/2010
- 24/01/2010 a 30/01/2010
- 10/01/2010 a 16/01/2010
- 27/12/2009 a 02/01/2010
- 06/12/2009 a 12/12/2009
- 29/11/2009 a 05/12/2009
- 15/11/2009 a 21/11/2009
- 04/10/2009 a 10/10/2009
- 27/09/2009 a 03/10/2009
- 13/09/2009 a 19/09/2009
- 06/09/2009 a 12/09/2009
- 30/08/2009 a 05/09/2009
- 23/08/2009 a 29/08/2009
- 16/08/2009 a 22/08/2009
- 02/08/2009 a 08/08/2009
- 26/07/2009 a 01/08/2009



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:





Top Sites


Top30 Brasil - Vote neste site!
Concurso de sites Top30.






Créditos:
Lay: Sandra
Html: Cristiny On line

AINDA NÃO ACEITOU JESUS?

NENHUMA DESCULPA É ACEITÁVEL...
Quando procurar desculpas para Deus não usá-lo, lembre-se das seguintes pessoas:
1. NOÉ era bastante chegado à bebidas fortes;
2. ABRAÃO era muito velho;
3. ISAAC era um partidarista e até injusto;
4. JACÓ era mentiroso e inseguro;
5. LIA era feia, tinha defeito nos olhos;
6. JOSÉ foi escravo e assediado;
7. MOISÉS foi um assassino (como Davi e Paulo);
8. ESTER era órfã e prisioneira de guerra;
9. GIDEÃO era pobre e medroso;
10.SANSÃO era co-dependente e tinha cabelos muito grandes;
11.RAABE era prostituta;
12.DAVI era adúltero;
13.JEREMIAS e TIMÓTEO eram muito jovens;
14.ELIAS era depressivo - suicida;
15.ISAÍAS pregou nu;
16.JONAS fugiu de Deus;
17.NOEMI era viúva;
18.JÓ perdeu tudo;
19.JOÃO BATISTA comia gafanhotos;
20.JOÃO era muito introspectivo;
21.Os DISCÍPULOS dormiam, enquanto Jesus orava;
22.MARTA se preocupava demais com tudo;
23.FELIPE via dificuldades em tudo;
24.MARIA MADALENA era endemoniada;
25.O GAROTO com pães e peixes era um "notável" desconhecido;
26.A MULHER SAMARITANA teve muitos homens;
27.ZAQUEU era muito baixo;
28.PEDRO era impulsivo, temperamental e negou a Jesus 3 vezes;
29.MARCOS tinha desistido de tudo;
30.TIMÓTEO tinha úlcera no estômago;
31.TOMÉ tinha muitas dúvidas;
32.E LÁZARO - já havia morrido!!!

E agora, qual é a sua desculpa?
(desconheço a autoria)

 

 



Os três inimigos da Igreja

Há três ferozes inimigos do corpo de Cristo que, quando identificados, devem ser varridos da Igreja com zelo, porque geram destruição e abrem uma grande porta para o diabo trabalhar! São eles:

· Maledicência;

· Juízo (julgamento ao próximo);

· Falta de perdão.

Podemos perceber que estas três terríveis atitudes totalmente opostas às orientações que o Senhor nos dá provêm do orgulho.

Andrew Murray dizia que “o quanto de orgulho que você tem é o tanto de anjo caído que existe em você”. Pela força desta frase entendemos a gravidade de se permitir orgulhar. Quem tem orgulho dentro de si irá cometer um ou todos dos tipos de pecados citados acima.

A maledicência (=mal dizer, portanto, falar mal de uma pessoa), é um pensamento negativo que nutrimos a respeito de alguém expresso em palavras para um terceiro.

Quando me permito cometer tal pecado, devo discernir o que me motivou a proceder assim. Possivelmente, ou estou magoado com a pessoa citada ou tenho inveja da pessoa em algum aspecto (vida vitoriosa, ministério, caráter, etc.) de sua vida, ou, enxergo naquela pessoa algo que ainda não reflete a vida de Cristo nela.

O fato é que Deus tem para cada um de nós uma vontade boa, agradável e perfeita (Rm. 12:2b). Se não estamos experimentando isto, devemos nos apresentar diante de Deus com um coração sincero e humilde, reconhecendo todo o pecado! Este é o caminho da salvação. Rendo-me a Cristo, para Ele fazer o que quiser em mim.

Uma das coisas mais preciosas que a Igreja tem é o fato de haver Deus ter dado para cada um dos Seus filhos um talento, um dom a ser compartilhado com o corpo de Cristo! Se a Igreja tiver bilhões e bilhões de irmãos, cada um deles tem algo específico e peculiar para expressar da parte de Deus. Se isto não está acontecendo, precisamos avaliar se, de fato, estamos vivendo em dependência de Deus. Tiago 4:11 nos diz que “não devemos falar mal uns dos outros, pois aquele que fala mal do irmão ou julga a seu irmão fala mal da lei e julga a lei; ora, se julgamos a lei, não somos observadores da lei, mas juízes”.

Além disso, a maledicência é uma fonte de inimizade e contendas entre irmãos!

Temos aprendido que não só o maledicente peca, mas o “ouvidecente” (aquele que ouve) também! Se dois irmãos, concordemente, resolvem pecar nisto, estão permitindo a semeadura da divisão do corpo de Cristo, e fecham o espaço para aquele irmão, que é o alvo da conversa, apresentar-se como discípulo de Jesus.

A maledicência é a expressão prática do julgamento, o segundo ponto que citamos. Jesus nos ensinou dizendo “Não julgueis, para que não sejais julgados” (Mt. 7:1).

O juizo é uma resposta de Deus às nossas atitudes, e apenas d´Ele! Ele não me deu a responsabilidade de julgar aos meus irmãos, justamente por eu ser igual a eles. Além disso, nós julgamos por aparência, enquanto o Senhor vê o coração. Quantos de nós já dissemos “não é querendo julgar, mas...”.

O Senhor nos diz que quando julgamos, seremos julgados. É uma sentença forte! Quando sentamos na cadeira de juiz, estamos transmitindo a sentença para nós mesmos, uma vez que do pecado que julgamos em nosso irmão, nós também fomos réus! Não devemos cair nesta tentação de julgar, Deus não nos permite!

O terceiro ponto citado é tão grave que o próprio Senhor produz uma sentença fortíssima sobre o homem que cai na tentação de não estender o perdão a seu irmão:

“Então, o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda porque me suplicaste; não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como também eu me compadeci de ti? E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida.Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão.” Mt. 18: 32-35

A sentença proferida pelo Senhor no texto acima é a de que o homem que não perdoou, fique preso, sob tortura, até saldar a sua dívida! Mas sabemos que a nossa dívida não pode ser paga por nós mesmos. Só o Senhor Jesus pode nos salvar do pecado que cometemos! Então, quando não perdoamos a alguém, estamos anulando a obra de Cristo em nossas vidas, desfazendo o milagre gerado por Ele na cruz e, conseqüentemente, rejeitando o perdão de Deus sobre nós mesmos, o que não nos leva a vida eterna!

Além disso, a falta de perdão gera mágoa e rancor, obras do diabo na carne. Ela é uma porta para não andarmos felizes e bem com o corpo de Cristo. Dificilmente alguém que retém o perdão, tem problema com uma pessoa só. A retenção do perdão se torna uma prática que se estende a outras circunstâncias e pessoas.

O caminho mais fácil.

Para cada uma das atitudes citadas acima, há um caminho melhor e mais fácil:

No lugar de falar mal de alguém, devemos ver a obra de Cristo na vida daquela pessoa, e louvar ao Senhor por isto! Ficaremos em paz com nossa consciência e livres para ser um canal de bênção para aquela pessoa, além de receber algo do Senhor por parte deste outro irmão!

Ao invés de julgar, podemos agradecer a Deus pela vida do nosso irmão, e pedir que o Senhor o faça prosperar a cada dia, para que a Igreja seja edificada por meio do Seu corpo. Se eu vejo algo que não está coerente com a palavra de Deus, posso chegar com humildade neste irmão e dizer ao mesmo que algo não foi agradável ao Senhor. Assim, mutuamente seremos edificados!

Quando ofereço o perdão, estou amando e estou cooperando para que os pecados sejam eliminados do meio do corpo de Cristo, “porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pe. 4:8b).

Sejamos a cada dia mais semelhantes a Jesus, que em todas estas coisas, manifestou a vida do Pai, e não se permitiu (mesmo sendo justo) reter o amor, a graça e o perdão de Deus!

Samir Machado

Como

destruir

a

teologia

da

prosperidade?

Hoje acordei com as seguintes questões em minha mente: Porque a teologia da prosperidade dá tão certo em nosso território? E como fazer para que ela possa perder sua força?


Cheguei a conclusão de que se grita muito em termos de teologia, demonstrando bíblicamente que ela é equivocada e fruto de uma visão deturpada de promessas divinas, entretanto, o povo continua seguindo suas desvirtuações. Isso tem uma razão, não tão simples, mas uma boa razão, a esperança. Pense num país como o nosso, com todas as suas disparidades sociais, onde muitos tem nada e poucos tem tudo. Todas as nossas mazelas que enfrentamos todos os dias, isso faz com que a teologia da prosperidade não somente tenha força, mas seja praticamente a única resposta plausível para toda essa barbárie que vemos hoje.

Estou defendendo tal teologia? De forma alguma. Acredito que ela não tem fundamento e se baseia em uma falsa esperança que não se alimenta, apenas depreda o ser humano que é envolvido numa rede egoísta de fé, mas o que seria do homem sem a fé e é essa a força motriz que lhe dá sustentação. Por outro lado, na contra-mão disso tudo, por que perdemos tanto espaço para essa desvirtualização do sagrado? Justamente porque não conseguimos dar uma resposta satisfatória para essas mazelas, se a teologia da prosperidade avançou é justamente por nossa inabilidade em se aproximar do povo mais pobre e oprimido, de acessar as entranhas de seus problemas, resumindo, intelectualizamos a nossa fé a tal ponto que perdemos o foco de Jesus, onde ele fala aos simples e luta por eles. No fim, a nossa religiosidade protestante se tornou um artigo fino e de luxo, somente para os "eleitos" e quem são esses eleitos? Olhem para suas igrejas e vejam a sua maioria, do que é composta? E pensem, onde estão os pobres e miseráveis desse mundo?

Queremos ver exterminada da face da terra a teologia da prosperidade? Então devemos descer de nossos pedestais teológicos e nos aproximar dos oprimidos, devemos ressignificar nossa fé elitista para uma fé que seja acessível ao pobre e miserável. Fé esta que é marcada pela prática e não pelas divagações.

Devemos também não nos ater aos debates infindáveis tentendo convencer os pais da teologia da prosperidade local a se dobrarem ante a "verdadeira" teologia, antes devemos lutar para que não haja espaço para essa teologia nefasta se frutificar, como? Lutando por mais ética e justiça, distribuição de renda, lutar por um país mais ético, onde não haja mais a distribuição da pobreza, mas da riqueza. Que haja terra para todos morarem e tenham condições de sobreviver. Devemos mostrar pelos nossos atos que estamos sonhando junto com esses necessitados de Deus e também assim como queremos um país melhor, devemos querer uma igreja melhor, mais ética, mais justa e que se importe de verdade com o próximo, onde todos tem espaço e não apenas as castas clericais, que esta seja uma igreja movida pelo amor, amor este que provém de Deus.

Esses são os primeiros caminhos para a derrocada da teologia da prosperidade.

Paz e bem
VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS. SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!


- Postado por: edisuely às 13h30
[
] [ envie esta mensagem ]

 



Olá amigos(as). Foi uma grata surpresa receber tantas demonstrações de carinho no momento mais difícil da minha vida. É neste momento que vemos como as pessoas realmente são e quem é ou não amigo(a), de verdade. Rogo ao Senhor que abençoe a cada um(a) que  demonstrou seu carinho, e a quem orou por mim e por meu filho. Continuem orando, porque a luta parece não ter fim. Para completar, meu filho está além de desempregado, com pneumonia. Me ajudem a não desistir de Deus e clamem para que Ele não desista de mim. Em homenagem a vocês uma postagem sobre a amizade.

O BOM PERFUME CHAMADO AMIGO

"Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo
para viver. Não abandone o seu amigo nem o amigo do seu pai. Se você
estiver em dificuldades, não peça ajuda ao seu irmão. Vale mais um
vizinho perto do que um irmão longe”(Provérbios 27.9-10 BLH).

Você tem amigos? Como é o seu relacionamento com eles? Veja que a
Bíblia fala sobre eles serem importantes para a nossa vida e
vice-versa. Quem é o seu melhor amigo? Ligue para ele hoje, mande um
e-mail ou fale pessoalmente sobre como ele tem dado ânimo em seu dia a
dia.

Onde está o seu amigo? Lembre-se de que você não pode abandoná-lo.
Você jamais deve abandonar um amigo nem tão pouco deve deixar de pedir
sua ajuda.

Para que os amigos existem? Para ajudar e serem ajudados. É claro que
os amigos nos suportam, nos dão conselhos, emprestam algum dinheiro na
hora do sufoco(alguns dizem que emprestar dinheiro é sinônimo de
perder a amizade), estão disponíveis nas horas difíceis, etc.

Mas a Bíblia ainda nos diz que "sem conselhos os planos fracassam, mas
com muitos conselheiros há sucesso" (Provérbios 15.22). Este é o
conselho de um amigo: tenha amigos verdadeiros e seja um verdadeiro
amigo. Lembre-se também de Jesus o amigo fiel e leal que nunca nos
abandona! Louve a Deus nesta noite pelos amigos que abençoam a sua
vida!

Como ser um bom amigo?

a) Seja um(a) amigo(a) CONSTANTE. Em Provérbios, como também no
dia-a-dia, os amigos de tempos prósperos são muitos:

“O pobre é desprezado até pelo seu vizinho, mas o rico tem muitos
amigos”(Provérbios 14.20 BLH).

“Os ricos arranjam muitos amigos, mas o pobre não consegue nem
conservar os poucos que tem”(Provérbios 19.4 BLH).

“Todos procuram agradar as pessoas importantes; todos querem ser
amigos de quem dá presentes. Se o pobre é desprezado até pelos seus
próprios irmãos, não é de admirar que os seus amigos se afastem dele.
Ele se cansa de procurar os amigos, mas eles não se importam com
ele”(Provérbios 19.6-7 BLH).

Ou seja, quando estamos em uma boa situação todos querem ser nossos
amigos. E nós também temos esta tendência de querer fazer amizades que
nos dêem algum retorno. Isso não é correto.

A amizade se estabelece na base da troca e da doação. Nela podemos dar
e receber afeto e atenção:

“Algumas amizades não duram nada, mas um verdadeiro amigo é mais
chegado que um irmão”(Provérbios 18.24 BLH).

“O amigo ama sempre e na desgraça ele se torna um irmão”(Provérbios
17.17 BLH).

O bom amigo deve ser leal e assim fugir da tentação de construir
amizades pensando em levar vantagens pessoais.

b) Seja um(a) amigo(a) FRANCO(A). Em Provérbios, como também no
dia-a-dia, observa-se a necessidade de que a amizade seja estabelecida
na transparência:

“O amigo quer o nosso bem, mesmo quando nos fere; mas, quando um
inimigo o abraçar, tome cuidado!”(Provérbios 27.6 BLH).

“Quem bajula os seus amigos está armando uma armadilha para si
mesmo”(Provérbios 29.5 BLH).

É necessário que o amigo diga a verdade e não esconda nada de nós e
vice-versa. Esta não é uma atitude muito fácil de ser tomada, mas as
amizades não sobreviverão e nem serão benéficas sem esta confrontação
amorosa e verdadeira.

“Corrija uma pessoa, e no futuro ela apreciará isso mais do que se
você a tivesse elogiado”(Provérbios 28.23 BLH).

c) Seja um(a) amigo(a) CONSELHEIRO(A). Há dois aspectos que desejo
destacar que descrevem dois lados do conselho:

1) O efeito animador do companheirismo que revela como é bom tem
alguém que alegre a nossa vida e nos dê animo para viver e enfrentar
as lutas do dia-a-dia:

"Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo
para viver”(Provérbios 27.9 BLH).

2) A contenda sadia entre personalidades e pontos de vista diferentes
que nos ajuda a manter a cabeça no lugar e nos oferece oportunidade de
refletir:

“As pessoas aprendem umas com as outras, assim como o ferro afia o
próprio ferro”(Provérbios 27.17 BLH).

Uma amizade verdadeira deve ter ambos os elementos, o que consola e o
que estimula.

d) Seja um(a) amigo(a) SENSÍVEL. Tenha tato, respeito pelos
sentimentos alheios. Recuse-se a tirar vantagens da afeição do outro.
Observem algumas dicas de Provérbios que nos ajudam no dia-a-dia:

1) Querer ficar na casa do amigo o tempo todo ou querer que ele fique
em sua companhia toda hora.

“Não vá a toda hora à casa do vizinho, pois ele pode se cansar e
acabar ficando com raiva de você”(Provérbios 25.17 BLH).

2) Ser alegre demais na hora errada e quando esta atitude não é
desejada, ou é até cruel.

“Quando alguém acorda um amigo de manhã bem cedo com um grito de "bom
dia!", o seu cumprimento soa como uma maldição”(Provérbios 27.14 BLH).

“Cantar para quem está triste é como esfregar sal numa
ferida”(Provérbios 25.20b BLH).

3) Não saber quando a brincadeira está indo longe demais.

“Quem engana os outros e diz que é brincadeira é como um louco
brincando com uma arma mortal”(Provérbios 26.18-19 BLH).

SEGUNDA POSTAGEM

Pr. Ricardo Kropf S. Fermam: ENTENDENDO A UNÇÃO DE LENÇOS À LUZ DA BÍBLIA

"E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam." (Atos 19:11,12)

Ao longo dos anos, o episódio registrado no livro de Atos tem sido evocado por pastores e ministros de algumas denominações evangélicas como justificativa bíblica para a distribuição aos fiéis de lenços ungidos, rosas ungidas, toalhinhas ungidas e outros, os quais supostamente teriam o poder de curar doenças e/ou de expulsar espíritos malignos. Mas será que este ensino está realmente correto?

Inicialmente, é importante identificar os lenços e aventais citados em At 19.12. Em grego, os termos traduzidos como lenços e aventais são, respectivamente, σουδαρια (soudaria, uma toalha para enxugar o suor da face ou lenço) e σιμικινθια (simikinthion, um semicinctium, meia-cintura ou avental, com o qual se cobria toda a barriga e utilizava-se para preservar as roupas daqueles que estavam envolvidos em algum tipo de trabalho). Estes eram levados até os enfermos, logo conclui-se que os enfermos estavam impossibilitados de ir até onde Paulo estava.

Em seu comentário, Barnes argumenta que o propósito deste milagre estava ligado à propagação do Evangelho. Tal milagre foi um mero sinal, ou uma evidência para as pessoas envolvidas, de que isto foi feito pela instrumentalidade de Paulo, de que este maravilhoso poder lhe fora concedido, assim como o fato de que o Salvador colocou seus dedos nos ouvidos de um homem surdo, e cuspiu e tocou sua língua (Mc 7.33). (Barnes´New Testament Notes) A razão de tal milagre pode residir na difícil tarefa de Paulo na pregação e ensino do Evangelho em Éfeso: Depois de 3 meses de ensino, argumentando e respondendo objeções, com razões embasadas nas Escrituras, ainda existiam aqueles que se endureceram e não obedeceram, falando mal do Caminho perante a multidão (At 19.8).

Neste momento, cabe a seguinte pergunta: porque não há o registro de nenhum milagre feito por Paulo desde a expulsão de um espírito maligno de uma moça em Filipos? Porque não foram feitos milagres em Tessalônica, Beréia e Atenas? Ou se foram feitos, porque não há o registro? É possível argumentar que o sucesso do evangelho, sem milagres no reino natural, foi em si mesmo um milagre no reino da graça, não necessitando de outro.

O comentarista Matthew Henry concorda com Barnes. Segundo ele, Deus confirmou o ensino de Paulo pelos milagres. Estes foram milagre especiais, ou seja, não eram milagres usuais. Deus enxertou poderes que não eram conforme o curso da natureza: virtudes não vulgares. As coisas que foram feitas não poderiam de forma alguma serem atribuídas ao acaso ou causas secundárias. Com isso, os preconceituosos opositores do evangelho não teriam outra opção a não ser atribuir a Deus os milagres realizados: não foi Paulo que fazia tais coisas (quem é Paulo, e quem é Apolo?), mas foi Deus que operou pela mão de Paulo. Ele era apenas o instrumento, Deus foi o agente principal, confirmando assim a natureza tanto do milagre quanto da mensagem pregada.

De fato, se a fé daquelas pessoas fosse distorcida, sendo posta sobre os lenços e aventais ao invés de Deus, isto se constituiria em idolatria e deste modo nenhum milagre teria sido realizado. O Deus que tão veementemente combateu a idolatria no Velho Testamento não a ratificaria no Novo Testamento, afinal "Ele, o SENHOR, não muda" (Nm 23.19; I Sm 15.29; Ml 3.6; Tg 1.17) e nem Paulo autorizaria o uso de tais utensílios.

Sobre isso, Alexander MacLaren (1826-1910) comenta: "Não parece que o próprio Paulo enviou os lenços e aventais, os quais transmitiam virtude de cura, mas que ele simplesmente permitiu o uso. Os conversos tinham fé para acreditar que tais milagres seriam feitos, e Deus honrou a fé deles. Note cuidadosamente que a narrativa coloca a parte de Paulo em seu devido lugar. Deus "fez"; Paulo foi somente o canal. Se as impulsivas pessoas, que levavam as roupas, tivessem supersticiosamente imaginado que havia virtude em Paulo, e não olhassem através dele para Deus, isto implicaria que os milagres não teriam sido feitos." (Expositions of Holy Scripture: The Acts)

Por outro lado, os objetivos de Deus na realização de tais milagres haviam sido alcançados. Foi estabelecida a inequívoca distinção entre Paulo e os mágicos e exorcistas judeus (At 19.13-17). Os empecilhos iniciais na pregação do Evangelho em Éfeso haviam sido superados, "muitos dos que tinham crido vinham, confessando e publicando os seus feitos" (At 19.18). Também muitos dos que seguiam artes mágicas trouxeram os seus livros, e os queimaram na presença de todos (At 19.19). Assim a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia (At 20.20).

Conclusão:

Diante do exposto, torna-se evidente o erro crasso de algumas denominações evangélicas em distribuir, de graça ou por preço, objetos ungidos aos seus fiéis. Paulo jamais ungiu suas vestes com óleo ou qualquer outra coisa, tampouco mandou que fossem levados aos doentes e possessos de espíritos imundos, ou mesmo solicitou partes de vestuário destes para que fossem por ele ungidas. O fato de aquiescer com a prática de maneira alguma fornece a base doutrinária para que o ato se perpetue na Igreja Cristã. De fato, não há sequer um versículo em toda a Bíblia onde conste a mínima recomendação apostólica sobre esta prática à Igreja. O texto de Atos 19:12 trata-se tão somente do registro das acontecimentos relacionados à pregação da Palavra de Deus em Éfeso.

A despeito do que ensinam erroneamente alguns, não houve nenhuma "transferência de unção" do apóstolo Paulo para seus utensílios de trabalho, tampouco há evidência de que estes tivessem algum poder sobrenatural. DEUS e não o lenço/avental realizavam o milagre! No mundo real, existe transferência de massa, de calor e de quantidade de movimento, realizadas devido a existência de um gradiente da grandeza entre dois meios; mas não há registros de transferências de unção. Além disso, pessoas são ungidas por Deus para alguma atividade específica (e isso deu-se tanto no Antigo quanto no Novo Testamento), coisas foram ungidas com óleo no Velho Testamento indicando separação, para serem utilizadas única e exclusivamente dentro dos propósitos de Deus para elas (como, por exemplo, o tabernáculo; Êx 30.26; 40.9-11).

É preciso entender que estes milagres foram especiais, realizados num tempo especial. Havia a peremptória necessidade de estabelecer de forma clara as marcas apostólicas de Paulo em Éfeso, sem a qual possivelmente a Igreja não teria sido fundada naquela cidade. Havia uma grande oposição espiritual, pela imitação, e intelectual que impedia a aceitação do Evangelho. A argumentação retórica na Palavra de Deus havia encontrado forte resistência intelectual; assim era preciso que a natureza divina do Evangelho fosse confirmada sobrenaturalmente aos incrédulos. Ademais, é muito importante perceber que tal milagre, dito extraordinário, não era realizado pela vontade e poder do apóstolo, mas sim pela vontade, poder e soberania do Senhor.

Os defensores dos lenços ungidos fequentemente usam o argumento de que o poder de Deus não mudou para corroborar suas práticas. De fato, como citado, Deus não mudou; porém, a revelação bíblica sobre Deus nos mostra que Ele tem Vontade própria, não sendo mecanicamente repetitivo, mas agindo de forma diferente em diferentes situações. Estes mesmos ministros precisam explicar porque Deus não abriu o mar ou fez andar sobre ele, em várias ocasiões modernas, onde teriam sido salvas inúmeras pessoas de afogamento (inclusive crentes); porém façam-no sem apelar para a "vulgar solução" da "falta de fé".

Tomar o episódio registrado em Atos 19:12 como doutrina para a Igreja é negar todos os princípios da hermenêutica bíblica. O uso de objetos ungidos favorece a criação e perpetuação da idolatria e feitiçaria na vida dos crentes bem como a terrível prática da simonia. Assim, é evidente que o Espírito Santo, que não divide sua glória com ninguém (Is 42.8), jamais permitirá, em hipótese alguma, que a sua glória seja dada aos ídolos, tenham eles qualquer forma ou aparência, ratificando tal prática idólatra por meio da realização da cura e assim desviando as pessoas de Cristo.

A idéia de que estes utensílios serviriam como "ponto de contato" para aquelas pessoas mais fracas, para para despertar-lhes a fé. Contudo, biblicamente falando, segundo o Autor aos Hebreus, "a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem" (Hb 11.1,2). A fé é gerada nos crentes a partir da Palavra de Deus: "a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" (Rm 10.17). A questão não é se Jesus ou os apóstolos usou algum objeto em suas ministrações, mas no que isto pode implicar. Em seu site, o Pr. Ricardo Gondim comenta que "os evangélicos retrocederam aos tempos do catolicismo medieval. Observa-se com facilidade, na maior parte das igrejas, o incentivo de que se usem amuletos como ponto de contato para a fé. O paganismo e a feitiçaria se disfarçaram de piedade e a maioria dos crentes só se preocupa em aprender a controlar o mundo sobrenatural para serem prósperos ou para resolverem seus problemas existenciais."

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!
A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!


- Postado por: edisuely às 14h30
[
] [ envie esta mensagem ]

 



Olá,

Desculpem-me o longo tempo sem postagem, mas estou passando pela pior fase de toda minha vida e isso acaba mexendo com toda a nossa estrutura, mas tenho fé que tudo vai melhorar.

Agradeço de coração, aos votos de feliz aniversário e rogo ao Senhor que abençoe ricamente a todos(as) os que se lembraram e aos que não se lembraram também. Obrigada de coração.

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL...

 

A nós, deméritos!

.
As instituições religiosas, neste agravo, denominadas de “igrejas", estão à procura de armas de guerra espiritual, como manifestação de uma busca incessante, profunda e desesperada da presença de Deus;

Mas, sem dúvida, as instituições religiosas, ouigrejas, hoje, mais do que nunca, necessitam é de Palavra, não somente usando de forma coloquial, como temos presenciado em púlpitos, palcos shows e patéticos programas evangélicos televisivos; há uma urgente necessidade de se viver a Palavra de Deus;

Está-se cantando muito e guerreando pouco, as nossas armas não são carnais;

As instituições religiosas, ou igrejas, conseguiram crescer e se fazerem respeitar pelo aperfeiçoamento, técnica e mensagem de auto-ajuda, porém, num agravante, sem a unção, sem a vida de Deus.

Não que não houve corações quebrantados, houve! Mas, estes estavam por detrás das malhadas, muitas vezes ofuscados pelo brilho da glória humana...

... muitos são os que se acham perfeitossantossuperiores a outrem, mas, ainda não descobriram o princípio da sabedoria, que é o temor do Senhor;

Há de se afirmar que Deus não precisa dos perfeitos; aliás, nunca precisou, porque a verdade é que eles não existem!

É necessário uma urgente visão correta de nós mesmos; para se ter uma visão correta de Deus.

Não somos merecedores de Deus, não temos méritos... apesar de alguns, em ousadia, tentam tornam a Deus nosso Devedor, cobram ao Senhor como se Este os fosse Servo! Pagam-Lhe para que os abençoe(??)!

Mas, não sejamos enganados por nós mesmos, a nosso respeito só há deméritos, falta de mérito; desmerecimento; e, se Deus nos dá algo, é por Sua infinita graça, e misericórdia, ou se os acurados religiosos nos discordam, talvez entendam quando as Sagradas Escrituras relatam em Lamentações 3, “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim”.

 

Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo.

Nos interesses de Sua Igreja.

Fraternalmente, 

irmão James.

A paz do senhor a todos(as)



- Postado por: edisuely às 10h04
[
] [ envie esta mensagem ]

 



Primeiro amor ou entusiasmo

.
Temos ouvido falar em o “primeiro amor"... e o que é??

Seria quando entramos em uma igreja, local com nome religioso, e diante um homem engravatado com nome de “pastor” que nos ajoelhamos, o momento de nosso “primeiro amor"??

Não, não, e não!!

Ora, em verdade, quando pela primeira vez, meditamos e damos lugar ao Espírito Santo para que Ele nos convença de nosso pecado e do mau caminho que percorremos, passamos a “dar uma oportunidade” a Deus a nos mostrar a verdadeira realidade do Amor que o SENHOR nos tem preparado desde a fundação do mundo...

... Ah!...

... Eis o momento do “primeiro amor"... aquele pelo qual permitimos a Deus que entre em nossa vida!!!

Infelizmente, o entusiasmo tem tomado lugar nos corações, e as palavras melindrosas de mercenários religiosos tem achado guarida nestes corações sedentos do “Amor de Deus”, almas vazias que se enchem com pregações fraudulentas como a “teologia da prosperidade”, homens que ensinam a que outros sejam caçadores de Deus rejeitando a “graça”, que ensinam que se deve perdoar a Deus, amaldiçoando aos que não dizimam e ofertam para seus ministérios e patéticos programas...

O primeiro amor não se firma nas patéticas danças proféticas, e jamais será aceito num patético ato profético...

O primeiro amor não chora de quatro como cantora gospel, mas, se prostra diante de Deus!!

O primeiro amor adora a Deus em espírito e em verdade, louvando e salmodiando no coração, como “servo" e não como um cantor(a) “levita”!!

O primeiro amor firma-se em nos “converter" de nossos caminhos errados, nosso pecado, e não em somente “convencer" de que somos pecadores!!

Mas, Jesus nos adverte:

Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor” [Apocalipse 2].


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses de Sua Igreja.


.
VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!
A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!


- Postado por: edisuely às 11h44
[
] [ envie esta mensagem ]

 



AINDA HÁ ESPERANÇA? SIM JESUS CRISTO É A ÚNICA ESPERANÇA

“mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto
como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se
cansam”(Isaías 40.31 NVI)

Introdução: Nós cremos que ainda há esperança porque aquele que confia
no Senhor é mais do que vencedor. Tudo o que Deus criou tem um
propósito. Para Deus não existe acaso em nenhuma de suas obras. Tudo
tem razão de ser. Todos nós precisamos conhecer, na prática, a
realidade do poder de Deus, para termos esperança. Porque como esperar
alguma coisa de alguém que não o conhecemos? Não é suficiente ter boa
teologia acerca do poder de Deus, é preciso experimentar esse poder.
Em nossos dias existem muitos crentes vivendo na teoria as grandes
verdades espirituais, é preciso vivenciá-las.

A igreja carece de poder para viver uma vida mais pura, mais santa e
mais perto de Deus. A igreja precisa de poder para alçar vôos mais
longos para experimentar o real crescimento que Deus deseja. A igreja
tem caminhado a passos lentos de tartaruga, enquanto Deus quer que ela
avance para frente como a águia. Ninguém pode conhecer a vida de
intimidade com o Espírito Santo sem ser levado à prática da oração
fervorosa. A igreja só se santifica e cresce quando deixa de confiar
em si mesma e vive na dependência do Espírito Santo de Deus.

I - Porque Devo Crer Que Ainda Há Esperança?

1) Porque o Senhor é o nosso refúgio na hora da tribulação. Ele é
socorro presente em todo o tempo: “Senhor, meu Deus, em ti me refugio;
salva-me e livra-me de todos os que me perseguem”(Salmo 7.1 NVI).

2) Porque Deus tem poder para reverter qualquer situação que esteja eu
vivendo. Devo crer que resta esperança porque o Senhor disse: “Ninguém
conseguirá resistir a você todos os dias da sua vida. Assim como
estive com Moisés, estarei com você; nunca o deixarei, nunca o
abandonarei”(Josué 1.5 NVI). É promessa de Deus, e Deus cumprirá com
todas as suas promessas.

II - Há Esperança Para Todos Os Que Crêem Em Jesus Cristo.

1) É preciso crer que Deus pode e vai restaurar o seu lar, libertar o
seu filho ou parente e restaurar-lhe o que o inimigo tem roubado:
“Eles responderam: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os
de sua casa”(Atos 16.31 NVI)

2) É preciso crer que Deus vai intervir na sua vida, a esperança é
para aquele que não desistiu de lutar: “pois o SENHOR, o seu Deus,
luta por vocês, conforme prometeu. Por isso dediquem-se com zelo a
amar o SENHOR, o seu Deus”(Josué 23.10-11 NVI).

III - Quando Se Espera No Senhor O Que É Que Se Recebe?

1) Recebe-se Nova Força. Para resistir tantos ataques do inimigo é
necessário ter novas forças. Essa renovação de forças só é possível
quando nós oramos: “Ponha o seu rosto no pó; talvez ainda haja
esperança”(Lamentações 3.29 NVI).

2) Recebe-se Nova Visão. E o seu pensamento sobe até o trono do Pai:
“Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim
de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no
momento da necessidade”(Hebreus 4.16 NVI). No trono de Deus todos os
seus filhos encontrarão graça, misericórdia, e socorro.

3) Recebe-se Novo Vigor. Esse novo vigor é para resistir as grandes
ciladas do diabo, esse inimigo ataca sem descanso os filhos de Deus.
Esse novo vigor garante ao crente que tem esperança em Jesus Cristo, à
vitória. Vitória sobre a morte, sobre os inimigos, Vitória sobre todos
aqueles que se levantarem contra a Igreja do Senhor. Esse novo vigor
da ao crente em Cristo Jesus a garantia da Coroa da Vida. “Não tenha
medo do que você está prestes a sofrer. O Diabo lançará alguns de
vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante
dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da
vida”(Apocalipse 2.10 NVI).

IV - Aquele Que Tem Esperança É Um Campeão.

Nós somos mais que vencedores. Por que podemos ter esta certeza de que
somos campeões. Por que podemos ter esta convicção de somos vencedores
e de que o inimigo já está derrotado?

1) Porque Cristo nos garante a vitória: “O que é nascido de Deus vence
o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. Quem é que
vence o mundo? Somente aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus”(1
João 5.4-5 NVI).

2) Porque é o Espírito Santo de Deus que nos ajuda na fraqueza: “O
próprio Espírito testemunha ao nosso espírito que somos filhos de
Deus”(Romanos 8.16 NVI).

3) Porque se Deus nos fez filhos dEle, não há quem possa nos vencer:
“Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio
daquele que nos amou. Pois estou convencido de que nem morte nem vida,
nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer
poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na
criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo
Jesus, nosso Senhor”(Romanos 8.37-39 NVI).

Conclusão: A Bíblia diz que aquele que perseverar até o fim será
salvo. Só será presenteado com a salvação aquele que tem esperança nas
promessas do Salvador. Esperança é algo que está dentro de cada um de
nós. Basta crê para que ela se desenvolva. Deus é a nossa Esperança:
“O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é a nossa torre
segura. Venham! Vejam as obras do Senhor, seus feitos estarrecedores
na terra. Ele dá fim às guerras até os confins da terra; quebra o arco
e despedaça a lança; destrói os escudos com fogo.“Parem de lutar!
Saibam que eu sou Deus! Serei exaltado entre as nações, serei exaltado
na terra”(Salmo 46.7-10 NVI)

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!



- Postado por: edisuely às 00h52
[
] [ envie esta mensagem ]

 



Os psíquicos e a nova onda carismática

Muitas manifestações diferentes e esdrúxulas, antes conhecidas exclusivamente no ocultismo, estão agora inundando o mundo pentecostal carismático e infiltrando-se, sub-repticiamente, nas igrejas tradicionais, que agora se autodenominam “avivadas”. Isto pode ser atribuído a manifestações do Espírito Santo ou a outros tipos de manifestações?

Precisamos discernir entre a verdade bíblica e o erro, antes de responder esta pergunta, o que deve acontecer até o final deste artigo. Uma inteligente divisão entre a realidade e a falsidade religiosa está se tornando cada vez mais necessária e urgente na vida cristã e na frequência à igreja. De uns anos para cá, a igreja tem estado à deriva, como um navio sem rumo, no alto mar. Em muitas congregações (quando não, na maioria), a verdade bíblica tem sido tratada superficialmente, enquanto os assuntos sociais e psicológicos têm ocupado a maior atenção. Nestes tempos do fim, não podemos nos dar ao luxo de um descuido doutrinário, nem ficar ociosos no que diz respeito ao “discernimento dos espíritos”, pois existem muitos crentes que estão sendo vitimados pelo engodo carismático, hoje predominando em quase todas as igrejas evangélicas.

Alguns textos da Escritura são necessários para nos manterem firmes, nestes tempos trabalhosos. Em Mateus 24:5, lemos Jesus dizendo: "Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos".

Mesmo que alguém esteja falando tudo corretamente a respeito de Cristo, isto não deve ser uma prova de que essa pessoa esteja falando a verdade. Até mesmo os mestres, pastores, evangelistas e, principalmente, os chamados “apóstolos” e “profetas” de hoje, mesmo conseguindo provar que suas profecias de fato aconteceram, não devem nos convencer de que eles sejam aprovados por Deus, pois devemos confiar exclusivamente no que está escrito na Palavra de Deus... de preferência no Novo Testamento, pois o Velho Testamento foi escrito para os judeus, anunciando a vinda do Messias. O VT nos ajuda a identificar a maneira como Deus tratava o Seu povo. O Novo Testamento foi escrito para a igreja e nós somos a igreja. Hoje em dia, quando um “profeta” fala a verdade que está na Bíblia, sua profecia é desnecessária e quando ele transmite a mentira, trata-se de heresia. Portanto, esta classe de visionários é absolutamente desnecessária, pois a Palavra nos ensina: "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra". (2 Timóteo 2:16-17).
"À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles". (Isaías 8:20).
Psíquicos como Jeane Dixon e Edgar Cayce (muito conhecidos nos Estados Unidos) profetizaram alguns fatos que de fato aconteceram, porém suas vidas e suas crenças anularam totalmente a confiança que neles poderia ser depositada pelos cristãos bíblicos. Nenhum deles possuía Cristo ou o Espírito Santo em suas vidas.

A Escritura contém muitas admoestações a respeito do engodo que vai prevalecer nos últimos dias. O apóstolo Paulo fala claramente sobre a vinda do Anticristo, na 2 Tessalonicenses 2:9-11:

"A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira."

Anos atrás, quando eu lia a declaração de Jesus feita em Mateus 24:24, não conseguia entendê-la. Como seria possível que até mesmo os eleitos fossem enganados? Eu via como grandes cristãos,  que eu cria serviam ao Senhor, e eram sólidos como uma rocha. O mundo real da igreja não tolerava as falsas doutrinas nem as atividades questionáveis, que ultrapassassem a ordem e a decência nos cultos, como palmas, gritos histéricos, gingados do corpo, quedas, urros animalescos, risos descontrolados e outras manifestações que hoje aparecem em tantas igrejas.

Infelizmente, a ordem e a decência já não se encontram na maioria das igrejas e tudo que nelas acontece deve entristecer tremendamente o Espírito Santo, o qual é tão invocado e, ao mesmo tempo, tão desrespeitado nesses ambientes “avivados”. O passo inicial para a decadência espiritual de uma igreja é a adaptação aos corinhos modernos de péssima redação gramatical e teológica, os quais agradam aos fracos na doutrina e aos visitantes incrédulos. Esses corinhos são especialistas em convocar a presença do Espírito Santo e são, na maioria, antropocêntricos. Os pastores que os toleram estão dando margem à decadência espiritual dos seus ouvintes.

O Espírito Santo veio ao mundo para glorificar o Nome de Cristo e nos convencer do pecado, da justiça e do juízo. Mas os carismáticos o transformaram num “office-boy”, que eles imaginam ser obrigado a satisfazer os seus desejos carnais, enquanto o Nome do Senhor Jesus Cristo quase não é mencionado, pois agora, na teologia do vexame carismático, o Espírito (será mesmo o Santo?) é quem dá as cartas, promovendo-se (segundo eles imaginam) em vez de promover a adoração a Cristo.

As atividades psíquicas são por eles atribuídas ao Espírito Santo e tudo piorou depois do movimento conhecido como “Bênção de Toronto”, o qual desencadeou todo tipo de desordem dentro dos círculos pentecostais e/ou “avivados”.

Num livro intitulado “Some Said It Thundered”, de David Pytches, publicado em 1991 (prefaciado por John White, com posfácio de Jamie Buckingham), aprendemos que esse tipo de movimento ficou sendo crido e totalmente expressado dentro das igrejas. Vejamos algumas perguntas e respostas sobre o assunto.

“Como os profetas costumam receber suas revelações? Será através do psiquismo ou do Espírito?”

O centro psíquico de cada um de nós parece desempenhar um papel vital na área da relação com Deus. Portanto, se os ocultistas conseguem uma certa conexão com os maus espíritos, através do psiquismo, mesmo que tais revelações nem sempre sejam verdadeiras (pois eles são asseclas do pai da mentira), presume-se que as manifestações carismáticas também sejam combinadas com a falsidade, pois os crentes enganados pelos falsos mestres dificilmente são nascido de novo e, portanto, não têm uma genuína experiência com Deus.

Será que os videntes modernos não têm problema algum em classificar o processo das revelações divinas a seres humanos, mesmo depois dos cristãos terem a Bíblia como única regra de fé e pratica de vida?

Depois do Cânon da Escritura ter sido completado, não precisamos mais de profecias, sinais e maravilhas, mas de uma fé integral no que Deus nos deixou por escrito. Nosso culto deve ser racional (Romanos 12:1-2) e não na base de experiências.

O espírito humano é um canal que capta as transmissões espirituais de Deus (ou dos poderes das trevas), as quais são refletidas na tela do psiquismo, ou seja, da alma.

Nesse caso, quem pode discernir entre o que é entregue por Deus ou pelos maus espíritos, sendo que estes últimos mentem descaradamente? Não é muito mais seguro confiar na Palavra de Deus, a qual é a verdade infalível e eterna? Como os carismáticos são tolos! E como os seus líderes são espertos em matéria de extorquir dinheiro dos crédulos!

Um canal de TV pode transmitir a verdade mais bestial, pornografia, notícias de crimes hediondos... Mas também pode transmitir coisas belas, como concertos sinfônicos, peças de bons autores teatrais. A responsabilidade não é apenas dos que transmitem esses programas, mas de quem os assiste. Um cristão embasado na Bíblia não pode gostar de pornografia, de programas humorísticos e de outras coisas que lhe prejudicam a comunicação espiritual com Deus. Cristão que se deleita em programas humorísticos de baixo nível moral e cultural somente comprova sua falta de discernimento bíblico e sua falta de amor a Jesus Cristo, o Deus encarnado, crucificado e ressuscitado por amor de nós.

Walt Disney, segundo alguns autores cristãos, é uma organização dos Illuminati, encarregada de corromper as mentes infantis, apresentando desenhos com mensagens totalmente anticristãs, promovendo o homossexualismo, o adultério e outros pecados modernos.

Em cada cem filmes de Hollywood, noventa e nove pregam a falsidade religiosa, a imoralidade, o adultério, a impunidade e outras mazelas morais. Se o nosso espírito é o meio de nos comunicarmos com o Pai Celeste, conforme Jesus nos ensinou, quando poluimos nossas mentes com os pecados do mundo isto nos afasta do Pai das luzes, em quem não há variação nem sombra de mudança.

Crente, leia a Bíblia. Também leia bons autores cristãos, em vez de se plantar diante da TV para ver indecência, confraternizando-se com os ímpios. Leia o Salmo No. 1 e veja a diferença entre um cristão legítimo e um ímpio travestido de cristão!

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!
A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!


- Postado por: edisuely às 12h51
[
] [ envie esta mensagem ]

 



  O SEXO TÃO TRISTE DOS JOVENS

"A nós, adultos, cabe não desviar os olhos, mas trabalhar na esperança de que um dia nossos adolescentes conheçam o sexo com ternura".
Procuro ser aberta ao novo, ao que me agrada no novo e também ao que exige um certo tempo para ser assimilado. Às vezes há o que não vale a pena ser assimilado, então, vou buscar outras paisagens. Eventualmente não sabemos se vale ou não, então, a gente fica humilde e espera. Uma novidade (para mim) espantosa, narrada e confirmada em mais de um lugar no país, é dessas que não quero assimilar. Se possível, enterrava numa cova funda, varrida para baixo de mil tapetes, fazia de conta que não existia: o sexo (ou simulacro de sexo) sem encanto, sem afeto, sem tesão, o sexo triste ao qual são coagidos pré-adolescentes, quase crianças, em famílias de classe média e alta. Essas que pensamos estar menos expostas às crueldades da vida.

Talvez eles não precisem comer lixo, correr das balas dos bandidos, suportar brutalidades e incestos, tanto quanto os mais desvalidos. Seu mal vem sob outro pretexto: o de ser moderno e livre, ser aceito numa tribo, causar admiração ou inveja. Cresce, que eu saiba, o número de meninas de 12 a 14 anos grávidas. O impensável ocorre muitas vezes em festinhas nas quais se servem bebidas alcoólicas (que elas tomam, ou pagariam mico diante das amigas, e com essa desculpa convencem os pais confusos), não há nenhum adulto por perto (seria outro mico, e assim elas chantageiam os pais omissos), e ninguém imaginaria o que ia rolar.

Nessas ocasiões pode rolar coisa assombrosa sob o signo da falta de informação, autoridade e ação paternas. Nem sempre, mas acontece. Crianças bêbadas no chão do banheiro de clubes chiques, adultos cuidando para não sujar o sapato no vômito não são novidade (ambulância na porta, porque algumas dessas meninas ou meninos passam mal de verdade); quantas meninas consigo beijar na boca numa festinha dessas? Em quantos meninos consigo fazer sexo oral? Sexo que vai congelando as emoções ou traz uma doença venérea, quem sabe uma absurda gravidez – interrompida num aborto, de sérias consequências nessa idade, ou mantida numa criança que vai parir outra criança.
"Roubaram a sexualidade desses meninos", me diz uma experiente terapeuta. Não deixaram tesão nem emoção, mas uma espécie de agoniado espanto, nessas criaturas inexperientes que descobrem seu corpo da pior maneira, ou aprendem a ignorá-lo, estimuladas ou coagidas por incredulidade ou fragilidade familiar, pelo bombardeio de temas escatológicos que nos assola na TV e na internet, com cenas grotescas, gracejos grosseiros em torno do assunto – "valores" e "pudor", palavras hoje tão arcaicas. Efeito da pressão de uma sociedade imbecilizada pela ordem geral de que ser moderno é liberar-se cada vez mais, sem saber que dessa forma mais nos aprisionamos. Precisamos estar na crista da onda em tudo, tão longe ainda da nossa vida adulta: sendo as mais gostosas e os mais espertos, desprezando os professores e iludindo os pais, sendo melancolicamente precoces em algumas coisas e tão infantilizados e ignorantes em outras, nisso incluindo nosso próprio corpo, emoções, saúde e vitalidade.

A nós, adultos, cabe não desviar os olhos, mas trabalhar na esperança (caso a tenhamos) de que nossos adolescentezinhos, às vezes ainda crianças, vivam de maneira natural essa delicada fase, e um dia conheçam o sexo com ternura, na tesão de sua idade – forte e boa, imprevista e imprevisível, com seu grão de medo e perigo, beleza e segredo. Que essas criaturinhas sejam mais informadas e mais conscientes do que, muito mais protegidas que elas, nós éramos. Mas seguras e saudáveis, não precisando lesar sua bela e complexa intimidade com tamanha violência mascarada de liberdade ou brincadeira. Sobretudo, sem serem estimuladas a lidar de modo tão insensato com algo que pode lhes causar traumas profundos, ou anular um aspecto muito rico de sua vida. É difícil, mas a gente precisaria inventar um movimento consciente, cuidadoso, responsável, contra essa onda sombria que quer transformar nossas crianças em duendes pornográficos, deixando feias cicatrizes, e fechando-lhes boa parte do caminho do crescimento e do aprendizado amoroso.

Adoradores do miojo profético

Renato Russo dizia pertencer à geração Coca-Cola. O tempo passou e hoje a nossa geração se identifica com outro produto. O miojo. Somos a geração do instantâneo.

Um toque no IPhone nos coloca em contato com o mundo inteiro. São tantas redes “sociais”. Não precisamos nos preocupar com endereços já que o GPS conhece todos os caminhos do planeta inteiro.

Este novo mundo instantâneo é tão atraente e eficiente que várias vezes chegamos a nos perguntar como era possível até bem pouco tempo viver sem essas facilidades.

Nos esquecemos que a Bíblia foi escrita em outra época. No ritmo das ferramentas dos agricultores, na cadencia dos pastores nos campos onde a vida corre sem pressa e onde a urgência é falta de sabedoria.

Na esfera da fé também mais do que nunca queremos resultados imediatos. Tudo está tão organizado, sistematizado e catalogado que para conseguir alguma coisa de Deus basta seguir 12 passos para isso, 8 semanas para aquilo e BUM!! Resultado alcançado. Daqui a algum tempo vamos pedir que o Senhor responda nossas orações de preferência em até 140 caracteres.

Nos esquecemos que o convite de Jesus aos apóstolos não foi para seguirem-no e viver três anos de aventura. Foi, sobretudo um gracioso desafio a seguirem-no por toda vida e para além dela.

Conhecer Jesus é muito mais que 7 semanas de campanha. É mais profundo do que algumas pregações e músicas nos sugerem. Às vezes parece que alguns estão adorando um deus miojo. Um deus para hoje, para já. E só.

Perdemos o foco do eterno. Não desejamos mais cumprir a carreira e receber o maior prêmio de todos. Ver Jesus face a face. Desejamos ardentemente esse mundinho de pequenas facilidades e bênçãos instantâneas.

Como você tem tratado Jesus em seu coração?

Como um deus miojo?

Ou como um Deus tão infinito e maravilhoso que nem a eternidade inteira vai ser suficiente para descobrir toda largura e profundidade de Seu amor?

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)



- Postado por: edisuely às 12h16
[
] [ envie esta mensagem ]

 



A música gospel e a proliferação de heresias.

Lamentavelmente a Igreja brasileira tem experimentado nos últimos anos uma variedade enorme de falsos ensinos. São tantas as heresias disfarçadas de "doutrinas" que é impossível não sentir-se envergonhado diante de tanta aberração. Infelizmente boa parte destas discrepâncias teológicas se deve as canções cantadas em nossas igrejas.

Ora, por favor, pare, pense e reflita nas letras das músicas que são tocadas nos cultos evangélicos. Sinceramente algumas delas são absurdamente ridículas, além obviamente de um mal gosto musical que denota a incompetência dos compositores. Se não bastasse isso, os princípios teológicos disseminados nestas canções são destruidores.

Sinceramente fico a pensar por que os músicos de nossas comunidades evangélicas não submetem suas "poesias" a pessoas qualificadas para que à luz das Escrituras avalie o conteúdo de suas canções.

Para piorar a situação algumas destas pérolas musicais descaradamente atentam contra o vernáculo ultrapassando em muito a liberdade poética fazendo-nos ruborizar diante de tanta ignorância. Junta-se a isso que os louvores cantados em nossas reuniões são extremamente antropocêntricos, o que nitidamente se percebe em nossos encontros congregacionais. Se fizermos uma análise de nossas liturgias chegaremos a conclusão que boa parte das canções que entoamos são feitas na primeira pessoa do singular, cujas letras prioritariamente reivindicam as bênçãos de Deus.

Pois é, numa liturgia preponderantemente hedonista, os evangélicos são extravagantes, querem de volta o que é seu, necessitam de restituição, determinam a prosperidade, tocam no altar, pedem chuva, cantam mantras repetitivos erotizando sua relação com Deus, desejando da parte do Criador, beijos, abraços e colo.

Caro leitor, sem sombra de dúvidas vivemos dias complicadíssimos onde o Todo-poderoso foi transformado pelo falsos apóstolos em gênio da lâmpada mágica, cuja missão prioritária é promover satisfação aos crentes. Diante disto, precisamos orar ao Senhor pedindo a Ele que nos livre definitivamente desse louvor, filho bastardo da indústria mercantilista gospel, o qual nos tem nos empurrado goela abaixo, conceitos e valores anticristãos cujo objetivo final não é a glória de Deus, mas satisfação dos homens.
Pense nisso!

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE, SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)




- Postado por: edisuely às 19h02
[
] [ envie esta mensagem ]

 



 

O DÍZIMO É POUCO, ELES QUEREM TUDO, ATÉ A LIBERDADE...



Eu tenho uma visão de dízimo como responsabilidade, compromisso com a Obra
10% é uma idéia boa, não é muito, é o suficiente e o doador ainda tem o suficiente para viver ou sobreviver
Até partidos políticos, como o PT, adotaram tal idéia A sustentação daquilo que se acredita é fundamental.

Deus não precisa de dinheiro, mas, a Obra para permanecer e crescer necessita. Penso que a afirmação de Malaquias
de se roubar a Deus é uma metáfora. Em cima da tribo de Levi que tinha a responsabilidade de cuidar do templo, das
coisas de Deus e da responsabilidade e necessidade de sustentá-la.
Ninguém pode roubar Deus já que ninguém pode enganá-Lo. Se alguém conseguir, Deus não é Deus, definitivamente.

São poucas as colocações de Jesus com relação ao dízimo específico e não são ensino tácito. Os cristãos aprenderam
logo que devia dar tudo o que podiam porque entenderam bem o que diz Hebreus 7:12, mudou o sacerdócio, mudou a
lei, e a lei agora é a lei de Jesus

Mas muitos pastores e igrejas não pensam assim e usam e abusam do Velho Testamento e vão além!!!
Recentemente recebi um e-mail de uma irmã que narrava que sua sobrinha, filha de pastor batista se encantara com
uma igreja neo-pentecostal, Universo, e casou lá e o marido vendia tudo para dar para a dita igreja.
Cada vez querendo mais bênçãos e nada recebia, não tinha fé o suficiente (é o que alegam estes tipos de pastores)...

Vivia como se fosse um dependente de drogas, vendia tudo e dava tudo... E como as bênçãos não vieram o casamento
acabou como uma desgraça...
Conheci um diácono batista e que viera de igreja batista famosa, Liberdade, mas se envolveu com a tal igreja do Universo
e se aprisionou, se tornou obreiro. Fazia empréstimos e mais empréstimos para entregar os seus dízimos e ofertas...
Quase enlouqueceu, saiu de lá, mais pobre, mais triste, mais magoado, mais infeliz... (não tivera fé suficiente???)

Mas nada se compara com o relato de uma irmã que tinha na igreja o seu principal referencial de vida JESUSCRISTO...
mas que na igreja do universo sempre ficou em segundo plano, mas, a igreja...
Ela viu que seus filhos não se adaptariam à doutrina da igreja-paixão, e pacientemente os levou para uma igreja
tradicional e idônea e depois de todos integrados, ela retornou para o que falava mais forte ao seu coração!!!
Uma senhora inteligente, uma das pessoas mais , solidárias que conheço, um exemplo...

Um dia, no final do culto na Universo, o dirigente disse: As portas estão trancadas. Queremos e precisamos de tudo
que está em suas bolsas. Jesus mandou dar tudo(???). Só vão sair daqui quando depositarem tudo no altar
(Misericórdia, Senhor!!!).

Minha personagem não foi ao altar, só tinha o dinheiro da passagem na sua bolsa, morava longe...
Eles tiveram que abrir as portas depois de algumas horas. Ela perdeu o último ônibus, teve que ligar para um filho
ir buscá-la. Ela saiu para nunca mais voltar!

Mas como gosta da tal doutrina, só trocou seis por meia-dúzia. Saiu da Universo e foi para o Mundo...

Mas a sua frase ecoou na sua família, nas famílias dos seus amigos, no bairro, na cidade, na internet:
ELES TRANCARAM AS PORTAS E NÃO NOS DEIXARAM SAIR!!!

Queriam o dinheiro na marra. Quando sai decidi nunca mais voltar

O dízimo é pouco, eles querem tudo, até a liberdade.
VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!
A PAZ DO SENHOR A TODOS (AS)!!!


- Postado por: edisuely às 12h18
[
] [ envie esta mensagem ]

 



A ILUSÃO DA PREGAÇÃO DO EVANGELHO DOCE E AÇUCARADO


Me engana que eu gosto

As culturas devem ser lidas nas linhas e entrelinhas. As linhas falam da coisa em si. As entrelinhas falam do espírito da coisa. As entrelinhas podem distorcer e até mesmo destruir o que está dito nas linhas.

Com a cultura cristã não é diferente. Veja o exemplo da assinatura da Igreja Universal do Reino de Deus, a saber, Jesus Cristo é o Senhor. De acordo com o Novo Testamento, isso significa que devemos viver como escravos dos propósitos de Jesus Cristo: ele manda e a gente obedece, ele propõe e a gente executa, ele dirige e a gente segue, pois afinal de contas, Ele é o Senhor. Mas na cultura da IURD, as entrelinhas dessa afirmação fazem com que ela signifique que Jesus pode realizar todos os seus desejos, afinal de contas Ele é o Senhor. A relação fica invertida: você clama e ele responde, você reivindica e ele atende, você pede com fé e ele lhe dá o que foi pedido, você participa da corrente de oração e se submete aos 318 pastores e Jesus faz a sua vida próspera e confortável, pois Jesus Cristo é o Senhor e você é “filho do rei”, de modo que não há qualquer motivo para que você continue nessa vida miserável, daí a segunda convocação da IURD: “para de sofrer”. Percebe como as linhas dizem uma coisa e as entrelinhas dizem outra?

O movimento evangélico é mestre em fazer confusão e promover distorção do Evangelho em virtude desse jogo de linhas e entrelinhas. Um exemplo disso é a mensagem VAI DAR TUDO CERTO, que recebi essa semana, aliás venho recebendo com muita frequência, inclusive de pastores(as).

SALMO 22
VAI DAR TUDO CERTO

DEUS me pediu que te dissesse que tudo irá bem contigo a partir de agora.
Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.
Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.
Esta manhã bati na porta do céu e DEUS me perguntou...
'Filho, que posso fazer por você ?'
Respondi:
'Pai, por favor, protege e bendiz a pessoa que está lendo esta mensagem'.
DEUS sorriu e confirmou: 'Petição concedida'.
Leia em voz baixa...
'Senhor Jesus :
Perdoa meus pecados.
Amo-te muito, te necessito sempre, estás no mais profundo de meu coração, cobre com tua luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos'.
Passe esta oração a 5 pessoas, no mínimo.
Receberás um milagre amanhã.
Não o ignore.

Deus tem visto suas Lutas.
Deus diz que elas estão chegando ao fim.
Uma benção está vindo em sua direção.
Se você crê em Deus, por favor envie esta mensagem para 20 amigos.
Se acredita em Deus envia esta mensagem a 20 pessoas,
se rejeitar lembre Jesus disse:
“se me negas entre os homens, te negarei diante do pai” Dentro de 4 minutos te dirão uma notícia boa

Deixo de lado a crítica gramatical e o péssimo uso da lingua portuguesa. Dedico minha atenção ao conteúdo da mensagem que, travestida de cristã, é absolutamente anti-cristã: mentirosa, fantasiosa, desprovida de qualquer sentido bíblico, desalinhada com o todo do ensino e experiência de Jesus, seus apóstolos, e seus primeiros seguidores, totalmente alinhada com os dircursos baratos da auto-ajuda e da enganação religiosa, enfim, uma versão barata e piedosinha da superstição sincrética do espiritualismo popular.

A afirmação “vai dar tudo certo”, lida de acordo com as linhas do Novo Testamento, significaria, por exemplo, que os propósitos de Deus prevalecerão, a marcha da igreja de Jesus Cristo contra os poderes do mal será vitoriosa, a vontade de Deus será um dia feita na terra como o céu. Mas também significaria que os seguidores de Jesus seriam sempre ovelhas em meio aos lobos [Mateus 10.16], odiados pelo sistema sócio-político-econômico anti reino de Deus, ameaçados de morte, rejeitados, caluniados, e perseguidos por causa do nome de Jesus [Mateus 5.10-12], e passariam por muito sofrimento e tribulação antes de receberam a vitória plena no reino eterno de Deus [Atos 14.22]. Isto é, antes de dar tudo certo, daria tudo errado.

A convicação de que “em Cristo somos mais que vencedores” [Romanos 8.37], e que “em Cristo Deus sempre nos conduz em triunfo” [2Coríntios 2.14], é também acompanhada de uma profunda compreensão a respeito dos custos de se colocar ao lado de Deus e do reino de Deus, em oposição à injustiça e aos agentes promotores e mantenedores da morte no mundo.

Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Viemos a ser um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens. Nós somos loucos por causa de Cristo, mas vocês são sensatos em Cristo! Nós somos fracos, mas vocês são fortes! Vocês são respeitados, mas nós somos desprezados! Até agora estamos passando fome, sede e necessidade de roupas, estamos sendo tratados brutalmente, não temos residência certa e trabalhamos arduamente com nossas próprias mãos. Quando somos amaldiçoados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, respondemos amavelmente. Até agora nos tornamos a escória da terra, o lixo do mundo.
[1Coríntios 4.9-13]
Fica, portanto, muito evidente que quando os cristãos do Novo Testamento diziam que “vai dar tudo certo” estavam afirmando coisas completamente diferentes dessas afirmadas na mensagem que recebi pela internet, que diz:

Tudo irá bem contigo a partir de agora.

Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.

Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.

Cobre com tua luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos'.

Receberás um milagre amanhã.

Uma benção está vindo em sua direção.

Dentro de 4 minutos te dirão uma notícia boa.

Meu amigo, minha amiga, não é verdade que “tudo irá bem contigo a partir de agora”, e também não é verdade que “você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos”. Não se iluda, pois não é verdade que “nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória”. Preste atenção: o compromisso cristão não suplica que Deus cubra com sua luz “minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos”. Na verdade, o compromisso cristão exige que você deixe de viver para seus sonhos, seus planos e seus projetos e passe a viver para Deus, pois, como ensina a Bíblia, “o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou“ [2Coríntios 5.14,15], e justamente por isso é que quem deseja seguir a Jesus deve lmebrar o que Jesus disse:

"Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará. Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?” [Mateus 16.24-26]

Também não é verdade que “receberás um milagre amanhã” e que “dentro de quatro minutos te dirão uma notícia boa”.

Pelo amor de Deus, jogue fora esse evangelho açucarado, que promete o que Deus jamais prometeu, e gera falsas esperanças nas pessoas. Respeite o sofrimento e a dor das milhares de pessoas que, apesar de sua fé, e talvez justamente por causa de sua fé, passam fome, não têm mínimas condições de sobrevivência, sofrem as consequências de tragédias pessoais e fatalidades naturais, são vítimas de um sistema mundano cruel, que as condena à escravidão e a uma vida sem futuro. Lembre dos cristãos que vivem na África, na Índia, na América Latina, e nos rincões miseráveis do Brasil. Seja solidário com as minorias: os negros escravizados, as mulheres violentadas, as crianças abusadas, as populações indígenas dizimadas, os refugiados de guerra, os perseguidos políticos, os desaparecidos. Respeite a grandeza dos cristãos perseguidos e mortos sob a tirania do fundamentalismo islâmico e dos regimes políticos ateístas. Pense um pouco se essa mensagem “vai dar tudo certo, todos os seus sonhos se realizarão, você vai receber um milagre amanhã” faz algum sentido na ala infantil do Hospital do Câncer, no campo de refugiados (mutilados) de Angola, ou nos casebres secos do sertão brasileiro.

Construa sua fé sobre um alicerce mais sólido. Por exemplo, o Salmo 22, aviltado com essa mensagenzinha “vai dar tudo certo”. Aliás, é bom lembrar que Bíblia não é um livro que pode ser manuseado por qualquer pessoa, de qualquer jeito. Da mesma maneira que não é qualquer pessoa que pode dar palpite a respeito do direito, de medicina, da engenharia, ou do marketing, também a teologia exige um mínimo de preparo, senão, muito preparo mesmo. Digo isso porque talvez o autor dessa mensagenzinha não saiba que o Salmo 22 é um dos Salmos messiânicos, que profetiza o sofrimento e o fracasso do Messias, que foi (1) abandonado por Deus e pelos homens [Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia? Meu Deus! Eu clamo de dia, mas não respondes; de noite, e não recebo alívio! Não fiques distante de mim, pois a angústia está perto e não há ninguém que me socorra], (2) rejeitado [Mas eu sou verme, e não homem, motivo de zombaria e objeto de desprezo do povo], (3) insultado [Caçoam de mim todos os que me vêem; balançando a cabeça, lançam insultos contra mim], (4) dilacerado pela dor que lhe foi brutalmente imposta [Como água me derramei, e todos os meus ossos estão desconjuntados. Meu coração se tornou como cera; derreteu-se no meu íntimo. Meu vigor secou-se como um caco de barro, e a minha língua gruda no céu da boca; deixaste-me no pó, à beira da morte. Cães me rodearam! Um bando de homens maus me cercou! Perfuraram minhas mãos e meus pés], e por fim (5) cuspido na cara e crucificado como impostor.

Para esse Messias não deu nada certo. Ele não recebeu uma boa notícia quatro minutos após sua agonia no Getsêmani, e também não recebeu um milagre no dia seguinte. No dia seguinte foi crucificado.

Mas esse Messias, apresentado pelo profeta como “homem de dores, que sabe o que é padecer” [Isaías 53], “Deus exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” [Filipenses 2.9-11]. Isso sim é dar tudo certo.

Provavelmente alguém vai dizer que é isso o que a mensagenzinha da internet quis dizer. Mas não foi. Nas linhas, pode ter sido. Mas no contexto da religiosidade popular e da subcultura evangélica, a mensagenzinha sugeriu que “os seus sonhos e os seus projetos” darão certo, e que você pode esperar para amanhã aquela resposta milagrosa de Deus para resolver seus problemas e dificuldades particulares, e que em quatro minutos você vai receber uma notícia boa, muito provavelmente trazendo a você uma benção na forma de conforto e prosperidade.

Em síntese, a mensagenzinha pode ser interessante, pode trazer uma esperança e um conforto para quem está lutando contra um sofrimento ou uma dificuldade medonha, e pode até mesmo trazer um alívio do tipo “eu sei que não é bem assim, mas é bom pensar que é, ou acreditar que pode ser”. Mas definitivamente essa mensagenzinha não tem nada a ver com o Evangelho de Jesus Cristo.

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)



- Postado por: edisuely às 10h23
[
] [ envie esta mensagem ]

 



 COMO DESTRUIR A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE?

Hoje acordei com as seguintes questões em minha mente: Porque a teologia da prosperidade dá tão certo em nosso território? E como fazer para que ela possa perder sua força?


Cheguei a conclusão de que se grita muito em termos de teologia, demonstrando bíblicamente que ela é equivocada e fruto de uma visão deturpada de promessas divinas, entretanto, o povo continua seguindo suas desvirtuações. Isso tem uma razão, não tão simples, mas uma boa razão, a esperança. Pense num país como o nosso, com todas as suas disparidades sociais, onde muitos tem nada e poucos tem tudo. Todas as nossas mazelas que enfrentamos todos os dias, isso faz com que a teologia da prosperidade não somente tenha força, mas seja praticamente a única resposta plausível para toda essa barbárie que vemos hoje.

Estou defendendo tal teologia? De forma alguma. Acredito que ela não tem fundamento e se baseia em uma falsa esperança que não se alimenta, apenas depreda o ser humano que é envolvido numa rede egoísta de fé, mas o que seria do homem sem a fé e é essa a força motriz que lhe dá sustentação. Por outro lado, na contra-mão disso tudo, por que perdemos tanto espaço para essa desvirtualização do sagrado? Justamente porque não conseguimos dar uma resposta satisfatória para essas mazelas, se a teologia da prosperidade avançou é justamente por nossa inabilidade em se aproximar do povo mais pobre e oprimido, de acessar as entranhas de seus problemas, resumindo, intelectualizamos a nossa fé a tal ponto que perdemos o foco de Jesus, onde ele fala aos simples e luta por eles. No fim, a nossa religiosidade protestante se tornou um artigo fino e de luxo, somente para os "eleitos" e quem são esses eleitos? Olhem para suas igrejas e vejam a sua maioria, do que é composta? E pensem, onde estão os pobres e miseráveis desse mundo?

Queremos ver exterminada da face da terra a teologia da prosperidade? Então devemos descer de nossos pedestais teológicos e nos aproximar dos oprimidos, devemos ressignificar nossa fé elitista para uma fé que seja acessível ao pobre e miserável. Fé esta que é marcada pela prática e não pelas divagações.

Devemos também não nos ater aos debates infindáveis tentendo convencer os pais da teologia da prosperidade local a se dobrarem ante a "verdadeira" teologia, antes devemos lutar para que não haja espaço para essa teologia nefasta se frutificar, como? Lutando por mais ética e justiça, distribuição de renda, lutar por um país mais ético, onde não haja mais a distribuição da pobreza, mas da riqueza. Que haja terra para todos morarem e tenham condições de sobreviver. Devemos mostrar pelos nossos atos que estamos sonhando junto com esses necessitados de Deus e também assim como queremos um país melhor, devemos querer uma igreja melhor, mais ética, mais justa e que se importe de verdade com o próximo, onde todos tem espaço e não apenas as castas clericais, que esta seja uma igreja movida pelo amor, amor este que provém de Deus.

Esses são os primeiros caminhos para a derrocada da teologia da prosperidade.

ERVAS DANINHAS E DESVIOS DOUTRINÁRIOS - UMA RELAÇÃO PERIGOSA 

Uma  família morava numa casa onde havia um lindo jardim, com belas plantas. Lembro-me que há alguns anos, eles compraram uma planta chamada Pingo de Ouro. Com o tempo e o cuidado necessário, ela começou a se desenvolver tornando-se então um pequeno arbusto muito bonito. Mas, sem que percebessem, uma destruidora erva daninha alojou-se ao seu lado, começando vagarosamente a sufocá-la. O processo de destruição foi tão forte que a planta quase não resistiu. Na verdade, se o jardineiro não tivesse arrancado a erva daninha e tratado da planta com remédio específico, certamente ela teria morrido. No entanto, agiram rapidamente, na hora certa exterminando a praga. Sem a erva que a sufocava, a planta pôde desenvolver-se com saúde, tornando-se assim uma grande e bonita árvore.

Caro leitor, a luz desta pequena história fico a pensar nas inúmeras ervas daninhas que nos últimos anos têm sufocado a Igreja de Cristo. Do Oiapoque ao Chuí, vemos a multiplicação de inúmeras heresias, que paulatinamente tem feito com que experimentemos um evangelho absolutamente diferente do cristianismo bíblico.

Infelizmente as doutrinas espúrias dos defensores da teologia da prosperidade tem levado um número impressionante de pessoas a vivenciarem decepções, frustrações e desilusões. A conseqüência direta disto é a quantidade de ex-adeptos do neo-pentecostalismo que apostataram da fé.

Estima-se que no Brasil, existam aproximadamente trinta milhões de pessoas que um dia freqüentaram ativamente alguma igreja evangélica. Todavia, esta enorme multidão que até pouco tempo engrossava nossas fileiras, cantando nossos louvores, hoje, encontram-se fora de nossos arraiais vivendo dissolutamente distante da casa do Pai.

A quantidade de indivíduos decepcionados com Deus, com a igreja, seus líderes e membros é extremamente alarmante. Pessoas de classes sociais diferentes, cor, idade e escolaridade encontram-se nessa preocupante estatística.

Dos que no momento estão fora, boa parte, freqüentaram os cultos das denominadas igrejas neopentecostais, as quais, como sabemos tem pregado em todo país um evangelho triunfalista, onde o cerne da mensagem é a prosperidade e a bênção de Deus. Também somos conhecedores que uma significativa parcela destes que se relacionam com este tipo de “evangelho”, fazem de Deus um “deus” utilitário, o qual é descartado no momento em que suas petições não são atendidas. Em virtude disto, é absolutamente perceptível a migração de alguns destes para outras religiões. O número de indivíduos que antes se denominavam evangélicos e que foram para outras concepções doutrinárias é relevante. Conheço pessoas que freqüentaram igrejas e que agora, consideram-se adeptas de outro tipo de fé. No entanto, ainda que isto seja um fato a se considerar, a esmagadora maioria dos que freqüentaram nossos cultos, encontra-se no mundo, distante de Deus.

Dos que voltaram para o “Egito”, percebe-se, um considerável número de pessoas que adotaram como filosofia de vida o agnosticismo.

Confesso que assusta-me o fato de saber que inúmeras pessoas que outrora professaram sua fé num Deus cognoscível, agora, vivam a mercê de e achismos impressões estereotipadas de quem seja o Senhor.

Isto posto, chego a conclusão de que mais do que nunca necessitamos combater de forma veemente as nefastas doutrinas ensinadas pelos adeptos da teologia da prosperidade e confisão positiva, extirpando do nosso meio conceitos e doutrinas anti-biblicas e pagãs.

Pense nisso!

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)



- Postado por: edisuely às 16h32
[
] [ envie esta mensagem ]

 



 

JESUS COM VERGONHA DE SER CHAMADO DE JESUS!!!

Já faz um bom tempo que o nome de Jesus não é mais o mesmo. Pois
é, aliás, infelizmente, desde Constantino que o nome "Jesus" vem
perdendo significado e respeito. Antes de você me chamar de herege ou
desrespeitosa, saiba que eu não falo do Nome que é sobre todo nome, o
qual, um dia, toda língua confessará como Senhor, o Nome proclamado
com poder e autoridade pelos apóstolos do Novo Testamento, diante do
qual os poderes malignos tremem e se dissipam até hoje. Não falo do
Nome anunciado como libertação por mudos e ouvido por surdos, não se
trata do Nome Eterno do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo e
que independe da conjunção correta das vogais e consoantes.

Que fique bem claro! Não estou falando do Nome que transcende o nome
histórico ou cultural de "Jesus". O Nome do Verbo de Deus é
irretocável, não há como ser mal interpretado, distorcido ou
distanciado do Nome do Deus Conosco, Príncipe da Paz, Maravilhoso,
Deus Forte e Conselheiro visto que este Nome faz efeito é no coração
dos que crêem e não em suas cordas vocais.

Entretanto, é preciso entender que existe Jesus e "Jesuses"... o
primeiro é Senhor de todas as coisas, até mesmo das nossas vontades,
levou sobre si as nossas dores, enfermidades e pecados. O castigo que
nos traz a Paz foi posto sobre Ele, apesar dele mesmo não ter cometido
nenhum mal ou pecado... este orou por seus inimigos e os abençoou,
ensinou o perdão e o amor incondicional. Se ofereceu como fiador e
resgatador das nossas dívidas de sangue, mesmo sendo, nós, ainda
pecadores e maus, sem merecimento algum. O Jesus, Senhor, ensinou a
dar de graça o que recebemos de graça. E por graça, misericórdia e
bondade dEle nos salvou quando expôs os principados e as potestades
ao vexame de serem subjugados e vencidos por Ele, em Sua morte
inocente na cruz.

Mas existem os "Jesuses" proclamados e "evangelizados" mundo afora
que, não obstante seus nomes serem escritos e pronunciados com as
mesmas letras que compõem o nome histórico de Jesus, nada tem a ver
com o Nome de Jesus, Senhor dos senhores.

O Jesus que pede oferta para abençoar, curar, prosperar ou livrar do
"devorador" não é o mesmo Jesus anunciado pelo nosso irmão e apóstolo
Pedro, na entrada do templo, ao paralítico que, de um salto, se pôs
em pé pelo poder do Nome do Senhor.

Há quem insista em fazer de Jesus um deus pedinte, mesquinho e
barganhador, um deus nada misericordioso, que ama somente na medida
em que é amado e servido por aqueles "da fé" ou da "visão", que
despreza os que não sabem pronunciar seu nome corretamente ou não se
desgastam em sacrifícios intermináveis de campanhas, atos proféticos
e propósitos puramente humanos.

Sim! O Jesus Senhor, tem vergonha de ser confundido com o Jesus das
multidões, das massas de manobra, do mercado do Jesus Gospel, da moda
e das fábricas de "levitas" e "ungidos" que proclamam com os pulmões
cheios de emoção o nome do Jesus Show e o Jesus Curandeiro ou
Exorcista, que fazem o que fazem não para anunciar a chegada do Reino
de Deus, mas para lucrar e construir o seu reino particular de mansões
nada celestiais.

O próprio Senhor nos preveniu dos "Jesuses" que viriam em seu nome:
"Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura,
não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos
demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?

Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de
mim, os que praticais a iniqüidade." (Mateus 7.22-23)

O Jesus simples do Evangelho, não pode ser confundido com o Jesus
que ensina a obtenção egoísta dos bens de consumo, da ostentação e
acúmulo de tesouros onde a traça e a ferrugem destroem, dos templos
de mármore e ouro construídos na areia das vaidades de alguns dos
modernos "apóstolos", "missionários", "sacerdotes" e "pastores".

O Jesus, Palavra da Vida, não é dobrado pelos decretos do homem, não
é convencido pelo muito falar, não é "profetizável" de acordo com a
vontade do homem, mesmo que este seja um "homem de Deus", mas o Jesus
Senhor é galardoador de todos os que o buscam com gratidão e
consciência da boa notícia de que já está tudo pago e que é tudo de
graça agora, para qualquer um.

Não é difícil diferenciar o Jesus, Pão da Vida, do Jesus que vive do
pão, do dinheiro depositado no altar não com gratidão, mas como bolsa
de valores. O Jesus da Verdade ensina que a vontade soberana é sempre
de Deus e não dos caprichos humanos. O Jesus Vivo não é o Jesus da
religião, do templo ou do proselitismo institucional, político e
eleitoral, mas sim o Jesus que tem as chaves da morte e do inferno,
que tem as Palavras de Vida Eterna.

Não digo estas coisas afim de ofender ninguém, pelo contrário! Minha
oração é para que aqueles que falam em nome deste Jesus poste-ídolo,
arrependam-se e creiam no Evangelho genuinamente enquanto há tempo,
pois "Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim
também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão,
dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o
Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina
destruição.

E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles,
será difamado o caminho da verdade; também, movidos por avareza,
farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo
lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme." (2
Pedro 2.1-3)

O Jesus, Verdadeiro Deus, não é o Jesus Mitra ou Maytreia, não é o
Jesus restrito ao Cristianismo somente, não é o Jesus Acusador ou
Exterminador dos infiéis. O Jesus, Consolador, é o caminho de volta
para Deus sem preço, sem mistério, sem magia, sem véus, em qualquer
tempo ou lugar, até mesmo onde não se conhece o nome Jesus, mas se
confessa na vida o Nome sobre todo o nome do Jesus Senhor.

O Deus que tem o Nome sobre todo o nome te abençoe rica, poderosa e
sobrenaturalmente!

 SILAS MALAFAIA CRITICA SITES EVANGÉLICOS: "MEDÍOCRES, CALUNIADORES, INVEJOSOS E BANDIDOS!"

O pastor da Assembleia de Deus, Silas Malafaia, mais uma vez usou seu programa de televisão para criticar blogueiros e profissionais que atuam nas mídias virtuais para opinar e noticiar. No programa exibido no dia 16 de abril, Malafaia disse para os telespectadores tomarem cuidado com sites evangélicos, pelo fato de que estariam difamando o seu ministério.

O pastor chamou os profissionais de “um bando de picaretas, caluniadores que levantam falso, de fofoca no meio do povo de Deus”, disse.

Além desses xingamentos, o pastor demonstrou raiva ao falar: “Eu fico com vergonha de ver como gente que se diz evangélica monta site e um monte de crente segue esses medíocres, caluniadores, invejosos, críticos que não fazem nada na seara de Deus”, falou Malafaia.

O pastor nem se preocupou em descobrir os ofícios dos profissionais da internet ao afirmar que esses trabalhadores não fazem algo para contribuir com o Reino de Deus.

Para finalizar, o pastor fez ameaças. “Seu eu fosse dar resposta ao que esses caras colocam no site a respeito da minha vida e do meu ministério eu tinha que botar uns 90% na cadeia porque são bandidos, essa que é a verdade. Merece cadeia, porque usa o nome de Deus, usa o nome evangélico para um site para caluniar, difamar, arrumar intriga, para botar dúvida no coração dos fracos porque tem crente fraco, está na Bíblia”, finaliza o pastor.

Nos últimos meses, o pastor Silas Malafaia tem sido criticado nos sites evangélicos (inclusive aqui) por ter, no ano passado, comprado um avião no valor de 12 milhões de dólares e também, por causa da criação do projeto Clube de 1 milhão de almas, neste mês de abril, onde, em parceria com o pastor Mike Murdock e a Associação Vitória em Cristo, pedem uma oferta voluntária de R$ 1000,00 para ganhar 1 milhão de almas para Jesus através da propagação dos programas de televisão e eventos (entre outras coisas).

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!




- Postado por: edisuely às 12h22
[
] [ envie esta mensagem ]

 



  NÃO PENSE POR DEUS

“Pois os meus pensamentos não são os pensamentos
de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos.
são os seus caminhos”, declara o SENHOR.
(Isaías 55.8).
NÃO PENSE POR DEUS

Muitas vezes, diante das complexidades de situações da vida, vemo-nos tentados a colocar nossos pensamentos na “mente” de Deus. E, quando afirmamos: “Deus me disse; Deus me revelou”, na verdade estamos fazendo uma tentativa de valorizar nossas palavras e ações por suas dimensões “divinas”. É um processo de compensação, projeção e transferência. Como seres humanos,. fomos criados à imagem e semelhança de Deus (Gn 1.26), mas temos a tendência de “criarmos” um Deus a nossa imagem e semelhança. Essa verdade tem sido muito constatada na prática diária de homens e mulheres religiosos. E acabamos colocando na mente de Deus e em sua boca nossos próprios conceitos e palavras. Isso é muito perigoso para nós mesmos e para os que conosco convivem., e representa grave engano e fanatismo religioso.

Profetas do passado histórico de Israel – o povo de Deus – afirmavam, com freqüência: “Assim diz o Senhor”. Eles, sim, foram homens especiais, levantados por Deus, por Ele mesmo chamados, para o ministério especifico de fazerem conhecidas pelo povo a mente de Deus. as palavras do SENHOR. E tinham um compromisso com Deus de transmitirem tão somente suas palavras, suas orientações, suas ordens, ao povo de Israel, o povo que chamava pelo nome de Jeová (II Cr 7.14 II Pd )..

Com a encarnação do Filho – A Palavra se fez carne na pessoa de Jesus Cristo e a humanidade conheceu o clímax da revelação de Deus – JEOVÁ. “Eu e o Pai somos um”, “Quem me vê, vê o Pai” e “Eu estou no Pai e o Pai está em mim”, essas foram palavras de Jesus a seus discípulos. E Ele mesmo os orientou a ouvir o Espírito Santo que os faria lembrar suas palavras e os conduziria ao conhecimento da VERDADE. Ao tempo final de seu ministério terreno, Jesus rogou ao Pai por seus discípulos e por aqueles que, como nós, hoje, se tornariam seus seguidores: “Pai, santifica-os na VERDADE, a TUA PALAVRA é a VERDADE”. Assim, Jesus Cristo e o Espírito Santo – que são a mesma pessoa divina – e a Palavra revelada representam nossa fonte de conhecimento da mente de Deus, dos propósitos de Deus, dos caminhos de Deus. Não devemos querer, por nossa própria conta, determinar a direção de Deus em nossas vidas, “adivinhar” seus pensamentos e “revelar” seus caminhos. Ele mesmo, em sua soberania e sabedoria, nos faz compreender – por Sua Palavra, já revelada, e pelo Seu Espírito, que em nós está - qual seja a sua vontade, para que a ela nos sujeitemos e a realizemos em nosso viver diário, livrando-nos de nossa insensatez (Efésios 5.17).

Por vezes, tenho ficado impressionado, abismado até, com a facilidade com que crentes colocam suas palavras na boca de Deus e “manipulam” as ações de Deus a seu favor, quando em suas atitudes e comportamentos há incoerências e contradições expressas diante da Palavra Revelada – A Bíblia Sagrada. Deus – O SENHOR – não se contradiz. O que tem dito de verdadeiro, de permanente e de valor e de princípios éticos, espirituais no Velho e no Novo Testamento continua sendo verdadeiro, permanente, ético e espiritual até hoje, por que “A Palavra de Deus permanece para sempre”.
Sendo filhos, somos seus servos também, por isso a nós convém o ajustamento de nossas vidas a seus ensinos, às suas ordens. E seus ensinos e suas ordens estão claramente declarados nas Escrituras Sagradas. Lendo-as atentamente, interpretando-as corretamente, submetendo-nos à iluminação do Espírito Santo, conheceremos Deus e a Sua Vontade, sem incorrermos no erro de querer dirigir os pensamentos e os caminhos de Deus. SEJA DEUS VERDADEIRO e não uma mentira em nossas vidas!

O espaço JESUS, MINHA ROCHA está na vitrine virtual da queridíssima Eneida e seu belo espaço doceblogueira.blogspot.com. Seu espaço é bastante interessante e merece a visita de todos(as) você. Passe por lá e deixe seu carinho. Abaixo o selinho-presente.

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, SE ASSIM O DESEJAR, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR TODOS(AS)!!!

 



- Postado por: edisuely às 21h14
[
] [ envie esta mensagem ]

 



 RACHA "EVANGÉLICO"

 "Apóstolos", "bispos" e "pastores" viraram símbolos de corrupção. Os famosos frequentam os noticiários por causa de exploração financeira do povo, lavagem de dinheiro, politicagem e outras coisas. E também por aí se espalham as versões sem projeção dessas lideranças. É lamentável que isso já nem escandalize mais. Absurdamente, esses líderes religiosos não são disciplinados pelas suas igrejas, continuando eles nas suas funções. A verdade é que a disciplina não acontece porque geralmente esses líderes são "donos" de suas igrejas. E, como esses líderes carregam o nome de " evangélico", o movimento evangélico todo ficou associado a essa miséria. A digna identificação de "evangélico" foi arrastada para essa enxurrada sórdida. Infelizmente os fatos que arrebentaram a imagem de "evangélico" têm fundamento. A carapuça serve.

Em 1653, em uma carta, o Padre Vieira, diferindo da estrutura então vigente, já denunciava a corrupção sistêmica do Brasil. Oportunismo e exploração foram motivos impactantes no "descobrimento" em 1500, bem como foram vícios da colonização brasileira. A cultura brasileira é historicamente corrupta. Porém, se o ideário do brasileiro precisa de transformação, ela não virá desse "movimento evangélico" que se espalha rapidamente. O movimento evangélico incorporou o ideário e jeito de navegar brasileiro.

É hora de se fazer uma distinção no universo "evangélico". Uma ruptura é necessária. Nos meados do século XIX, aportaram no Brasil os primeiros missionários do movimento evangélico - movimento Cristão com raízes na Reforma do século XVI na Europa. O movimento evangélico se inicia por causa de um redescobrir da mensagem apostólica, ensinada pela Bíblia. Por isso, o movimento evangélico original, sempre baseado na Bíblia, anuncia a reconciliação com Deus através do perdão gratuito e exaustivo disponível a todo pecador arrependido. Esse perdão é viabilizado pela morte de Cristo na cruz, q ue nela tomou sobre si a condenação do ser humano. Essa morte substitutiva, que possibilita o perdão, leva o arrependido, pela fé, a se identificar com a morte de Cristo. Por isso, esse perdão é radicalmente transformador. O arrependido morre com Cristo crucificado e, pelo poder do Cristo ressurreto, nasce para uma nova vida. É um romper com o pecado e o iniciar de um viver para a glória de Deus, em atos e palavras. Assim, a mensagem evangélica original é essencialmente a mensagem da "cruz".

Nessa proposta evangélica original, de uma vida moral transformada, o relacionamento com Deus é de obediência, mesmo diante do prejuízo, e nunca movido por barganhas e conveniências. Cultos são momentos de adoração, ensino da Palavra de Deus e quebrantamento. Não há espaço para manipulações de massa e malabarismos milagreiros. Igrejas não têm "donos". Com transparência se presta conta de tudo às comunidades das Igrejas, especialmente daquilo que se relaciona as finanças. O estrelismo "gospel" é fenômeno espúrio. E, no movimento evangélico original, quem erra é disciplinado. Com ess a mensagem e prática, o evangélico do primeiro século evangélico do Brasil tinha credibilidade, mesmo quando alvo de chacota.

Porém, os campos de trigo do Senhor foram invadidos pelo joio. O trigo ainda existe, mas é minoritário. Para se encontrar o trigo é preciso procurar com cuidado. O joio dominou. Descontadas as exceções, a maior parte das igrejas e seus líderes, de três décadas para cá, se "abrasileiraram". Negociar com Deus se tornou o cerne da nova mensagem. A fixação é na busca de poder que manipule o "mundo espiritual". Vende-se um Deus de soluções instantâneas a serviço das conveniências humanas. Oferecem uma psicologia pop travestida de "evangelho", na qual o massagear do ego e o "sentir-se bem" são o foco. Cultos viraram shows, meras experiências sentimentalistas e injeção de otimismo disfarçado de "fé cristã". Comumente, há um uso da Bíblia que trucida a teologia e interpretação bíblica. Não se fala na incomoda mensagem centrada no arrependimento e transformação moral. Foi abandonada a "cruz de Cristo". Agora, seguir a Cristo é motivado por "vantagens".

Se a mensagem evangélica original, falando da transformação moral pela "cruz", é péssima para se fazer marketing, especialmente de mídia, portanto, improdutiva para lucro, a "nova mensagem evangélica" é excelente para o marketing, especialmente o midiático. Deus, vendido como conveniência humana, produz um retorno financeiro fantástico. Arrecadar fundos e expandir o império são motivações dominantes. E de nada se presta contas às comunidades dessas igrejas midiáticas. Seus líderes desejam usufruir das "vantagens" do poder político. Igrejas viraram currais eleitorais. Tudo virou um grande negócio regido privadamente por "donos". Esse quadro é um campo propício para falsidade cristã, corrupção e jogo com o poder político. O resultado é que, em geral, não é recomendável se confiar em "evangélico", como se fazia no passado.

Mas o trigo ainda existe. Há pessoas e Igrejas evangélicas fiéis à mensagem bíblica. Porém, isso se restringe a uma minoria. E essa Igreja evangélica, verdadeira e minoritária, já se recusa a ser incluída nesse universo "evangélico". Igrejas, Como a qual pertenço, diferem totalmente desse movimento e igrejas que tomaram conta do cenário. O abismo está instalado. Há uma distinção entre igrejas e igrejas. Se o que está dominando é o que se entende ser "evangélico", então minha Igreja não é "evangélica" (lamentavelmente usurparam o nome dos fiéis a história-mensagem evangélica) . Minha Igreja em nada coaduna com esse novo modelo de "evangélico". Entretanto, quem conhece e examina, sabe distinguir entre o joio e o trigo.

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)!!!



- Postado por: edisuely às 18h36
[
] [ envie esta mensagem ]

 



 

Quero deixar registrado nosso 3° Encontro de Blogueiros e Orkuteiros do Rio de Janeiro, com as presenças especiais da Sandra (Cá entre nós) que veio da Itália, Nadja (Louka por net) vinda de Petrópolis e Dulcinéia (Mineirinha) que veio de Americana-SP, entre muitos outros amigos. Amei cada minuto passado em tão boas companhias. Que venham muitos encontros mais.

Causa Morte De Jesus: Choque Hipovolêmico



A morte de Cristo na cruz do calvário tem grandes significados para nós e quando nos referimos à cruz de Cristo na verdade estamos falando do seu sacrifício, da sua entrega, da sua morte por nós. Para nós tudo começa na cruz, nossa vida, nossa paz, a comunhão com Deus, entre outras.

A cruz de Cristo trouxe-nos grandes benefícios – nos libertou (Cl. 1.13); trouxe paz com Deus (Rm 5.1); constituiu-nos reino e sacerdote (Ap. 1.5, 6). A cruz ao mesmo tempo que nos trouxe graça, trouxe-nos também a misericórdia.

Deixando as maravilhas da crucificação, passamos agora, a partir da cruz, olhar para aquele que deu significado a crucificação. Sabemos pela Escritura Sagrada que o motivo da morte de Cristo foi nos salvar, nos religar novamente com Deus, nos trazer a esperança de salvação por meia da graça mediante a fé, foi, em fim, morrer em nosso lugar e pagar os nossos pecados. Entretanto como ele era 100% homem e 100% Deus, verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus qual foi realmente a causa morte biológica de Jesus, o que fez seu coração parar de bater, se fosse emitir uma certidão de óbito qual seria o real motivo clínico. A causa morte de Cristo foi por Choque Hipovolêmico (mais de 25% de perda de sangue do corpo, diminuindo o volume sanguíneo corporal aumentando assim o débito cardíaco).

Como chegamos a tal definição? Pelos seguintes fatos: cruzamos dados clínicos de alguém que morre por perder muito sangue com alguns dados da crucificação citados no texto sagrado.

Pois bem, temos em média 4.500 à 5.000 ml de sangue no corpo, para termos uma hemorragia é necessário se perder entre 7 à 8ml por minuto durante um longo período de horas sem realizar nenhuma contensão. Levando-se em consideração que a crucificação levou cerca de 6 horas (Mc 15.25, 33 e 34) fazemos o seguinte calculo:

Tempo Ml Porc. Consequência

1h 420 5% IMPERCEPTÍVEL

2h 840 10% IMPERCEPTÍVEL

3h 1260 25% INÍCIO DO CHOQUE – sede (Jo 19.28).

4h 1680 35% PERFUSÃO

5h 2100 40% Hemorragia IV

6h 2500 50% Parada Cárdio Respiratória – PCR

É preciso levar em consideração os seguintes fatos: foi posto nele cravos em suas mãos, coroa de espinho em sua cabeça e cravos em seus pés o que ocasionou lesões traumáticas, atingindo veias e artérias, como não lhe havia posto curativos o sangramento estava presente durante as 6 horas no madeiro e o corrimento sanguíneo era potencializado pela lei da gravidade, uma vez que seu corpo estava suspenso no madeiro. Não precisamos nem adentrar no detalhe de que ele já havia perdido certa quantidade de sangue quando recebeu as torturas, antes da crucificação. Sendo assim, segue o processo fisiológico:

PROCESSO:

As primeiras duas horas são imperceptíveis, mas depois...

3h - 1260 ml =25% - Início do choque – O organismo libera adrenalina para aumentar a contração do músculo cardíaco (o objetivo é compensar a perda do sangue) com isso o coração dispara (taquicardia) a respiração fica rápida o pulso fraco e a pele fica fria logo esta pessoa vai sentir sede (Jo 19.28).

4h - 1680 ml= 35% - Perfusão, estado compensatório – A pele, músculo e abdomêm têm o seu fluxo sanguíneo desviado para os órgãos vitais (coração, cérebro e rins) com a intenção de compensar a perda para dar tempo de reverter o quadro, preservando os órgãos nobres do corpo, caso houvesse um socorro.

5h - 2.100 ml = 40% - Hemorragia tipo IV – Como o quadro não foi revertido as extremidades das mãos e dos pés ficam cianótica (roxas) começa ocorrer a insuficiência do sangue chegar ao coração para ser bombeado portanto a pressão baixa a pessoa fica pálida e em sinal de alerta ou perigo as pupilas dos olhos se dilatam (midríase).

6h -2.500 ml = 50% - PCR – com perda igual ou superior ao volume sanguíneo do corpo ocorre a morte celular e então o coração para e o cérebro cessa suas atividades (Jo 19.34).

A morte por choque hipovolêmico é uma das piores mortes que se tem notícia, pelo fato da pessoa sentir sua vida se esvair em sangue, como se escorregasse pelas mãos sem poder recuperá-la, a pessoa sente literalmente que está morrendo aos poucos (Jo 19.30). Onde estava o pessoal dos direitos humanos? Onde estavam os bombeiros? Qual era o hospital mais próximo? Qual ambulância poderia socorrê-lo? Onde estava a equipe médica para conter o sangramento? Onde estava a equipe de enfermagem para realizar a massagem cardíaca? Onde estavam os cirurgiões para suturar seus membros superiores e inferiores e sua cabeça? Quem poderia receitar um analgésico, uma morfina ou um tramal para ele ser sedado e não sofrer enquanto morria aos poucos? Fazia parte do plano de Deus ele resistir até o final, o cálice não foi passado (Mt 26.39) por amor a nós. Gota a gota sendo derramado por mim e por você, o sangue percorrendo seu corpo em queda livre até regar o chão do Gólgota. O sofrimento de Jesus na cruz do calvário não foi só ser torturado e pregado na cruz, foi isto e mais seis horas de dor, de sofrimento e de sangramento, sentindo o seu corpo reagir para sobreviver, mas já sabendo que o socorro não iria chegar e então quando vê que a hora chegou ele exclama: Tetelestai (Jo 19.30) – Está consumado! Está totalmente pago, não deve mais nada. Esta palavra era usada tanto no final de um pagamento na compra de um escravo, como também era escrita na cela da prisão quando o réu cumpria sua pena por completo. Com seu sacrifício ele nos comprou para Deus e pagou nossa dívida (Cl 2.14). Você continuará achando que o sacrifício de Jesus por você foi algo simples, chegou ali foi crucificado e acabou? Acabou sim, depois de seis horas quando pelo derramamento do seu sangue houve perdão dos nossos pecados (Hb 9.22)

Boa páscoa a todos(as)

VOCÊ PODE ATÉ VIVER SEM JESUS, MAS MORRER SEM ELE SERÁ TERRÍVEL!!!!!!

A PAZ DO SENHOR A TODOS(AS)(AS)!!!




- Postado por: edisuely às 13h27
[
] [ envie esta mensagem ]

 

PRESENTES RECEBIDOS NA SEMANA





















width=190 align=baseline




Recanto das fadas





























width=380 align=baseline border=0>
width=561 align=baseline border=0>

 

">